Aneurismas


Aneurisma de Aorta
A aorta comporta o maior fluxo sanguíneo funcionando basicamente como uma matriz capaz de dispor a medida de sangue ideal para um bom funcionamento dos órgãos. O aneurisma de aorta nada mais é que a dilatação da principal artéria do corpo.
Aneurisma Abdominal
A região mais comum para o aparecimento dos aneurismas se dá na porção abdominal com incidência de 30 a 66 casos para 1000 habitantes sendo estes a maioria em homens acima de 60 anos 50% dos pacientes apresentam hipertensão.
Aneurisma Torácica
Considerado um caso grave da doença, trata-se da dilatação na parte da aorta localizada no peito e posterior ao coração, onde seu rompimento pode levar a dores intensas com sangramento interno de grande volume e uma alta incidência a mortalidade. Os aneurismas da aorta torácica são mais frequentes em pacientes portadores de doenças como a Síndrome de Marfan e Ehlers – Danlos.
Aneurisma Toracoabdominal
Os aneurismas de aorta toracoabdominais são aqueles que atingem os ramos da aorta que fazem a irrigação sanguínea nos rins, fígado e intestinos. Por questões didáticas no planejamento cirúrgico, foi criado uma classificação de acordo com a região da aorta acometida.
Aneurisma de Artéria Ilíaca
As artérias ilíacas são responsáveis por irrigar órgãos localizados na região pélvica. O aneurisma nessa região geralmente está associado a aneurismas de aorta sendo raro casos isolados.
Aneurisma Poplítea
Consiste na dilatação do vaso sanguíneo localizado na porção posterior do joelho, que quando acometida apresenta um diâmetro de 50% acima do calibre esperado.
Aneurisma de Artéria Visceral
Apesar de raro, este tipo de aneurisma necessita de uma atenção especializada, uma vez que seu aparecimento caracteriza o rompimento da artéria podendo ela ser visceral como a dos rins, fígado, baço, entre outras.
SINTOMAS E DIAGNÓSTICO: Normalmente os casos são assintomáticos, podendo algumas pessoas apresentar queda de pressão arterial, pulsação e dores torácicas e abdominal ou na região inferior das costas. A consulta com um cirurgião vascular é fundamental, pois após a avaliação do caso o seu médico poderá solicitar o exame adequado permitirá determinar presença ou ausência, localização e o tamanho do aneurisma. Atualmente os exames mais utilizados são: Ultrassom, Tomografia Computadorizada e Ressonância Nuclear Magnética. TRATAMENTO: A correção do aneurisma vista evitar a rotura ou trata-la. Recomenda-se para o tratamento a intervenção cirúrgica aberta ou intervenção cirúrgica endovascular, técnica esta mais recente e menos invasiva. Independentemente do tipo de cirurgia a ser realizada, deverá ser feita por um cirurgião vascular de sua confiança devidamente equipado e com experiência no procedimento.