Embolia Pulmonar

Pacientes portadores de trombose venosa profunda, podem apresentar coágulo formados na região da perna que ao se deslocarem e obstruírem uma artéria do pulmão desenvolvem o quadro chamado Embolia Pulmonar. Conforme tamanho e extensão da área afetada, caracteriza-se uma doença grave podendo esta ser fatal.

Entre os principais fatores de risco destacamos imobilidade prolongada, cirurgias extensas, câncer, traumas, utilização de anticoncepcionais com estrógenos, reposição hormonal, gravidez e pós-parto, varizes, obesidade, tabagismo, insuficiência cardíaca, idade superior a 40 anos e distúrbios na coagulação do sangue (trombofilias).


SINTOMAS E DIAGNÓSTICO:
Os sintomas são apresentados de forma leve, podendo até mesmo passar despercebido. A grande extensão da área afetada acarreta em dor torácica de início súbito, falta de ar, aceleração dos batimentos cardíacos e de respiração e palidez da pele. Sintomas raros como cianose (pele e unhas azuladas), tosse seca ou com aparecimento de sangue, febre e dor aguda no peito podem ser sinais da doença. Achados laboratoriais e de imagem de portadores de um diagnóstico prévio de trombose venosa profunda, auxiliam no esclarecimento de uma suspeita da doença. Além disso como diagnóstico realiza-se raio X de tórax e o eletrocardiograma, que mesmo não sendo exames específicos podem revelar alterações provocadas decorrente de uma embolia pulmonar e infarto pulmonar.
TRATAMENTO:
Pacientes diagnosticados com embolia pulmonar deverão ser anticoagulados. Este tratamento deverá ser realizado com acompanhamento médico uma vez que o uso de tais medicamentos eleva a probabilidade de risco de sangramentos. Casos em que pacientes apresentam contraindicações de uso de medicamentos anticoagulantes ou com recidivas, deverá ser implantado um filtro de veia cava a fim de evitar que novos coágulos atinjam os pulmões. Intervenções cirúrgicas só devem ser consideras em quadros de embolia pulmonar maciça.